A importância da calibração no processo

A importância da calibração no processo O objetivo deste texto é mostrar a importância da calibração na melhoria do processo produtivo bem como sua interferência direta na qualidade de um produto. A ISO 9001 A expressão ISO 9000 designa um grupo de normas técnicas que estabelecem um modelo de gestão da qualidade para organizações em geral, qualquer que seja o seu tipo ou dimensão. Esta família de normas estabelece requisitos que auxiliam a melhoria dos processos internos, a maior capacitação dos colaboradores, o monitoramento do ambiente de trabalho, a verificação da satisfação dos clientes, colaboradores e fornecedores, num processo contínuo de melhoria do sistema de gestão da qualidade. Aplicam-se a campos tão distintos quanto materiais, produtos, processos e serviços. A adoção das normas ISO é vantajosa para as organizações uma vez que lhes confere maior organização, produtividade e credibilidade – elementos facilmente identificáveis pelos clientes -, aumentando a sua competitividade nos mercados nacional e internacional. Por que calibrar? O que se vê é um crescimento muito grande de empresas adquirindo a norma ISO 9001 a partir do ano 2000, visto isso, não poderíamos deixar de lado o item da norma que aborda o assunto desde texto que é o item 7.6 da norma. A calibração propriamente dita tem por “definição” garantir que os equipamentos que interferem diretamente na qualidade do produto, sejam controlados metrologicamente, e, é com esse controle que podemos evidenciar efetivamente a melhoria do processo bem como garantir a qualidade do produto. Um exemplo prático do citado acima é numa empresa que possui um forno industrial, este forno precisa aquecer um material a 150°C constantemente para que...

A moderna ISO 9001

A moderna ISO 9001 A versão 2015 e a adequação às práticas de mercado   Participei recentemente da apresentação da nova versão da Norma ABNT NBR ISO 9001. Ainda em versão “draft”, a norma ficará disponível para consulta, sujeita a alterações até o final de 2015. Apesar disso, não deve haver mudanças significativas na versão divulgada até o momento. As revisões de normas ISO surgem em acompanhamento às práticas de mercado, que estão em constante mutação, cada vez mais aceleradas pelas ferramentas disponíveis nos dias atuais e pelo surgimento de novas técnicas a todo instante. Não seria diferente com a ISO 9001. A última revisão foi realizada há sete anos, em 2008. Um tempo muito grande, levando-se em conta a velocidade com que as inovações surgem, são implementadas pelas empresas e aceitas como prática de mercado. O período de cinco anos entre as revisões, previsto pela própria ISO cada vez que realiza uma delas, é o ideal, tempo suficiente para observar e incorporar novas técnicas às normas pertinentes. Sobre a ISO 9001:2015 destacam-se três quesitos. O primeiro é com relação à ampla abordagem sobre gestão de riscos que ela faz. Prática relativamente recente no mercado, é uma evolução do que as versões anteriores da ISO 9001 tratavam como “ação preventiva”, quesito, digamos, “rejeitado” pelas empresas.  Relativamente recente pois o mercado sempre buscou equilibrar os riscos e os custos. Ante a velocidade com que correm informações, surgem tecnologias, com que as mudanças ocorrem, quem falha perde mercado, perde cliente, para no tempo. Assim, a gestão de riscos torna-se imprescindível a quem quer acompanhar o mercado e ter, apesar das políticas...